F5

O que é o Future-se?

 

Créditos da imagem: Luis Fortes/MEC 17/07/2019 – Apresentação do Programa Future-se.

No dia 17 de Julho deste ano, o MEC anunciou a criação do programa FUTURE-SE com a promessa de colocar a educação brasileira entre as melhores do mundo e pautar seu desenvolvimento em inovação, empreendedorismo e responsabilidade com o futuro.

Basicamente, o programa tem o foca eu ampliar a autonomia financeira das universidades públicas e institutos federais possibilitando a captação de recursos com origem na iniciativa privada, tendo todas as operações feitas em parceria com Organizações Sociais já regulamentadas pelo MEC. Dessa forma, as universidades que já arrecadam anualmente 1 bilhão de reais, mas tem limitações legais para utilizar o valor de forma eficiente, poderiam ter liberdade para manusear esses valores.

No portal do Ministério da Educação é possível tirar suas dúvidas sobre o programa e conhecer os três eixos servem como base para estrutura-lo que são:

  • Gestão, Governança e Empreendedorismo: com ideias de arrecadar fundos para as universidades através da concessão de espaços da universidade como laboratórios, auditórios, etc… através de contratos e parcerias público-privadas.
  • Pesquisa e Inovação: visando estimular o desenvolvimento de Startups ainda dentro da universidade.
  • Internacionalização: permitindo o intercâmbio de alunos e professore com na pesquisa aplicada, além de facilitar o acesso à disciplinas no formato EAD e possibilitar bolsas em faculdade do exterior para alunos com desempenho acadêmico e esportivo de destaque.

No vídeo publicado no canal do próprio MEC, no Youtube, o ministro Abraham Weintraub afirma que esse programa não caracteriza uma privatização das universidades públicas uma vez que governo federal continuará a ter um orçamento anual destinado para as instituições. Além disso, as universidades não serão obrigadas a participar.

Contudo, reitores e alunos de universidades federais, de diferentes partes do país, colocaram-se contra as propostas apresentadas e mostraram-se apreensivos com a divulgação do programa como mostrado pelo G1.

O impacto nos professores

Em entrevista ao UOL, no dia 23 de Julho, o ministro Weintraub afirmou que as Organizações Sociais teriam autonomia para contratar professores sem concurso e os professores já concursados não teriam sua situação alterada em nenhum aspecto.

Entretanto, o ministro voltou atrás e, em nota divulgada pela Folha de São Paulo, dizendo que “o que há é a possibilidade de intercâmbio entre universidades nacionais e internacionais, trazendo para as universidades brasileiras professores estrangeiros renomados”.

Mais de 14 mil cadastros já foram realizados para uma consulta pública, sobre o Future-se que foi criada pelo MEC. O acesso ficará disponível até o dia 15 de Agosto para que professores, reitores, alunos e qualquer pessoa interessada possam apresentar suas sugestões e críticas. Para participar, basta criar um login e informar seu nome, e-mail e CPF.

Fato é que o Future-se divide muitas opiniões sobre o que poderá ser e coloca em check o atual modelo de gestão financeira das universidades públicas.

Deixe uma resposta